domingo, 8 de março de 2009

A Formiga que habita em mim

Eu, formiga do meu formigeiro, caminho em busca de alimento, sempre à procura do caminho mais certo para que esmagada não seja, evitando a chuva e de forma a não esvoaçar com o vento. Mas, por vezes, sou levada com a força do ventoe, por mais que tente, não consigo levar o alimento para o formigueiro para que nenhuma outra passe fome. Eu não sou heroína, faço parte de uma grande comunidade em que todos são heróis, pois eles tambem me trazem comida. E sem esforço mão sou formiga não sou nada. É duro achar o caminho e ainda mais duro é o alimento pesado que levo em costas, mas nada me deita abaixo. É uma vontade que habita em mim, uma insignificante e minúscula formiga.
Mas só ainda não percebi o porquê daquele vento estar contra mim...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O Salto

Estava caminhando naquele chão cinza
Olhava em redor e só via paredes que me bloqueavam
Paredes negras que me odiavam e me tentavam forçar a desistir
Por mais livre que pode-se ser sentia-me sempre aprisionado
Talvez pior que uma prisão

Agora estou a saltar para o outro chão
Aquele mais claro com paredes finas
Onde claro que sempre existirá o inevitável sofrimento...
Que um dia irei vencer, apenas nunca desistir é a solução
Acredito que o caminho não seja tortura

Agradecimentos não faltam
Aqueles que me ajudaram a levantar
Pois ainda é cedo para acabar a caminhada.