segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

As vezes o nada cansa

Na habitual sala dos pacientes
De impaciência não havia falta
Da cura, todos ali crentes
Desejosos da fuga para realidade.

Ridículo estrondoso nada
Quem gosta de te fazer?

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Disfunção Mental

Mente, corpo, mente, corpo, mente...
Força nessa tua insistente mascara
Com verdade de minerva tão demente
Que tanto o passado amachucara.

Algures do peito escapou a essência
Aquecendo os calafrios da salgada água.
Todos adoram a antiga imergente presença
Ou a saudável agora inanimada alma?

Da falsa à verdadeira inverdade,
Dos altos montes da cómoda cadeira,
Foi criada a pequenos passos realidade
Crescendo a cultura do mundo da mente.

Existe por ai quem é verdade?