sábado, 8 de janeiro de 2011

Cidade Urbana

Cidade das casas modernas,
Paredes por pessoas estragadas
Carregas os passeios infinitos
Das cansativas caminhadas.

Raios de Sol e chuvas árduas suportas
Também os vistos nas poças de água,
Sem um único resmungar no dia-a-dia
Reflectes a tua enorme e sentida mágoa.

Foste criada pela nossa raça
A tal que odeia a natureza.
Odeio o teu ar de desmazelo
Reflectes bem o nosso egoísmo
Na grandiosa e feia pureza.

Somos seres extremamente hipócritas!
A nossa criação não prezamos nem cuidamos,
Em busca de inexistente contentamento
Destruímos tudo de que um dia gostamos.

(O 1º de 2011! Obrigado a quem ajudou na correcção.)

Sem comentários: