domingo, 9 de dezembro de 2012

Distante foco

Procura! O invisível obscuro do injusto mundo
Foca! O inacessível desejo da aurora gloriosa
Apaga! A forma que era o teu antigo ser
Alcança! O sonho que vai formar o teu renascer!

Ofusca! Os trastes que sempre te desprezam.
Alimenta! A fome que o teu corpo tem.
Digere! A força dada pelos que bem te querem.
Sonha! O destino muda pois sempre podes ir alem!

Sim, meu eu, mais uma vez te falo
Aparo um pouco a tua essência de ser
Fatalmente a tua vontade, aqui, calo!
Vais ver assim; TU; observarás o que é viver!

Sem comentários: