domingo, 27 de março de 2011

A cadeira

Ela o peso dos outros suporta
Enquanto o humano descansa
E sem um pedaço de troca
O seu aclamado objectivo alcança.

Bastantes paralelas entre si
São as quatro brilhantes pernas
Pequenas ou grandes, a menina
Faz sempre bom uso delas.

As vezes a menina responsável pensa:
O sentar é castigo ou contentamento?
A utilidade minha sempre compensa?

O humano, cansado das duvidas da cadeira lhe diz:
Quatro pernas são melhor que duas!
A cadeira farta da situação lhe responde com desagrado:
Então te dou as minhas e tu me das as tuas!

E imaginem o que aconteceu? O humano ficou sem fala...

Sem comentários: