segunda-feira, 28 de março de 2011

Quem?

Quem te mudou? És tu o meu Eu?
O mundo estremeceu? O que restou?
Mas afinal quem sabe do que o Eu é?
Sempre é quem sou que penso que sou?

Finalmente me estou a afeiçoar a ti
Talvez agora te dê demasiada importância
Apesar de ter saudade do que foste
Imaturo, irresponsável e feliz na ignorância...

Vou deixar de ser tu novamente
Posso? És como a pastilha no chão
Cola facilmente mas descolar...
Há! Ainda me falta tentar o esfregão!

1 comentário:

marisa machado disse...

Foi apenas um desabafo de uma rapariga adolescente que procura mais paz e amor e menos hipocrisia e falsidade, missão difícil esta. Mas apesar disso, vou continuar a procurar pois sei que apesar do mundo cruel em que vivemos, ainda restam alguns sobreviventes ! (: