sábado, 30 de outubro de 2010

Quem és, meu eu?

Nunca conheci tal pessoa;
Todos os outros o podem fazer.
Apenas a eles se afeiçoa
E o conhecimento dele podem ter?

Não direi como ele é
Isso sim acontecerá de facto
Porque não me dizes tu?
Na minha mente é e será abstracto!

Ele gosta de ser igual,
Ele gosta de ser original.
Mas afinal do que gosta ele afinal?

Para o estudo dos seus factos
Nem a si mesmo o eu se conhece;
É escusado perceber os passados actos...
O cérebro os seus limites favorece.

1 comentário:

Shiny disse...

Está verdadeiramente lindo...
É mesmo a questão.. não vale a pena tentar percebermo-nos a nós próprios. Nunca nos vamos conhecer tão bem como os nossoas amigos nos conhecem..

Está mt bom mxm!
bjs