segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Greve de Palavras

    Ao escrever este texto estou a por fim há minha pequena greve de palavras que durou cerca de 7 horas e 45 minutos e foi iniciada as 0 horas e 0 minutos e não me perguntem se foi ontem ou foi hoje... foi naquela conhecida barreira que transita um do outro, um tal que intitulo de hotem (ridículo nome, eu sei) mas por um segundo ele dura, 7 vezes por semana, acho que merece algum mérito certo?
    Foi árdua, pois passei uma noite em preto pois não via nada alem desta cor. Ela passou-se sem que eu menciona-se uma única palavra e a única voz que ia ouvindo ecoar era na minha mente a questionar as seguintes perguntas: Porque não falas? Porque não dormes? Porque estás acordado e nada fazes? Porque pensas em algo estúpido? Será que alguém pensa em coisas idiotas como tu?
    Deu para relaxar, afinal o que pode fazer uma pessoa que faz uma greve tão idiota como uma greve de palavras? Enfim acabei por perder apenas umas meras horas de sono com o estúpido objectivo de não dormir e de não tentar sequer responder a uma única questão idiota proposta pela minha mente.
    Apesar de tudo acho que foi um bom resultado pois enquanto a minha mente pensava em questões as quais não quis responder não pensei em problemas e nem resoluções apenas me fez surgir agora pequenas e boas questões que nem ao trabalho me quero dar a responder.

Sem comentários: