quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Uns mexem olhos mortos da alegria,
Estão satisfeitos os infelizes,
Os exigentes tendem facilitar
E os tristes sempre festejar.

Trabalhoso é o laser,
É penoso as pernas estender,
Até a cerveja é árdua de beber
Para os que nada é fazer.

Nos cegos de saudável visão
Vistam-se com grande exaustão;
O espelho se refaz com falsidade
Reflexo de uma vida de inverdade...
 
Os Fracos com tudo, lutam!
Nos músculos os fortes se escondem...
Lá no fundo gritam: fujam!
Quando de um peixe grande se fingem...

E perseguido de cobardia
O contrario se contraria.
A imaginação que antes fluía
Acabou de desaparecer na maresia...

Sem comentários: