sábado, 21 de maio de 2011

Quem é o meu Deus?

O homem o faz há sua imagem
Na ilusão do contrário que a crença passa
Deixando a parva e exibicionista presença
Da gente que apenas é e será reles farsa.

Além de meu eu outro ser omnipresente? Que ridicularidade
Sem mencionar de problemas faz grande parte da gente
Que não envelhece sem as outras presenças criticar
Como as de diferentes creres que meu eu gosta apreciar
Sem qualquer diferente Deus louvar além do ser humano!

Ouvidos moucos farei a quem ousar criticar pois talvez já seja tarde para mudar a minha esperança que ambiciona uma humanidade que resolva avançar!

1 comentário:

Carina Rocha disse...

Meu caro amigo =)

Como sempre, mais um poema que me deixa a reflectir.. és um critico nato =) e gosto dessa tua forma de expor o que pensas!

Gostei!

Bjnhos da amiga!