domingo, 25 de julho de 2010

Duvidas?

Das minhas já duvido
tão incertas elas são…
Que já me perseguem
até há minha exaustão…

Mesmo que o meu cérebro mande
vontade própria elas têm…
E no meu pensamento elas prendem
até acordado me mantêm…

Da certeza eu preciso
para o meu pensamento incerto;
De uma presença necessito
para colorir o existente preto;

Um texto incerto sobre as dúvidas escrevia até ser novamente interrompido pela dúvida incerta na minha cabeça...

1 comentário:

Margarida disse...

A nossa existência num lugar tão maravilhoso como este (que chega até a ser surreal) faz-nos ter dúvidas, incertezas...
Talvez percamos demasiado tempo a duvidar de tudo, talvez devessemos usar esse tempo para viver.


Gostei imenso, aliás, adoro tudo o que escreves :)