quarta-feira, 14 de julho de 2010

O nada... não existe?

Nada? Será aquele vazio presente aqui?
Mas esse vazio existe como pode ser Nada?
Porque tu, Nada tão mas tão presente aqui estás?
Já que não existes porque não desapareces?

Bem Nada de ti estou farto
Mas de mim tu tanto gostas,
enfim pena de ti tenho
será que sou tão importante para ti?
Tu Nada, a mim não me és nada
Na insignificância a tua morte vai doer
Pois importância já tu acabas-te por perder

Enfim do Nada o Tudo veio
E de Tudo virá Tudo
Mas do Nada não virá mais NADA.

1 comentário:

Shiny disse...

Não podemos esperar que o Nada, simplesmente, crie algo. Se é Nada, então nada virá...

Enquanto que o tudo tem tudo por oferecer...
É sempre tão dificil ter tudo...