segunda-feira, 19 de julho de 2010

O Ceu também ensina...

Para as nuvens brancas eu olho
Elas sim me acalmam
Naquele movimento suave me acolho
Que discretamente a imensa luz destapam

Elas sim são a imagem de mudança
Do imenso cinzento elas aparecem
E me enchem com a enorme esperança
De uma enorme chama aparecer

   Olhei mais atentamente e uma pequena nuvem se dividia, parecia que ela tinha vontade própria mas coitada passados uns meros minutos em pequenos pedaços ela se dividia até desaparecer por completo... Pobre nuvem, só queria a sua independência mas a sua inveja pelas nuvens grandes a fez desaparecer, tal e qual como os homens que se separam do que é realmente importante tentando repisar os outros sem sequer uma proporção do seu tamanho conterem... Pequena nuvem, espero que tu sirvas de inspiração para aqueles homens pequenos de todos os dias que da inveja vivem para que não desapareçam na sua insignificância e que mudem a sua atitude face ao seu pensamento naquilo que eles chamam de vida.

   Agora as Nuvens de N grande ui... essas só desaparecem porque o seu grande amigo sol quer aparecer, grande amizade elas têm por ele ao ponto de darem a sua enorme existência para a luz de novo surgir... Nem um pouco de egoísmo elas mostram e nem sequer uma guerra é preciso existir para que de novo a luz surja, vocês nuvens grandes são um bom exemplo.

   Todos nós, se quiser-mos, podemos ser uma nuvem grande ajudando todos os dias quem nos rodeia a viver uma vida melhor.

2 comentários:

Shiny disse...

Nós vivemos da natureza...
Ela nos ensinou tudo o que sabemos hoje.
É bom saber que nem todos pisam a natureza. Afinal, ela é Mae por alguma razao!

Margarida disse...

O tal poema das nuvens, fantástico, mas isso já eu te tinha dito :)

Continua, tens muito potencial